Estado antecipa novos trens no Grande ABC

Troca de composições da Linha 10-Turquesa, prevista para ocorrer amanhã, foi realizada ontem pela CPTM.

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) antecipou a modernização de parte dos trens da Linha 10-Turquesa, entre o Brás, na Capital, e Rio Grande da Serra. A troca das composições 2.100 (produzidas de 1974 a 1977) pelos modelos 7.000 (fabricados em 2009), remanejados das linhas 9-Esmeralda (Osasco- Grajaú), 11-Coral (Luz-Estudantes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana), estava prevista para ocorrer amanhã, mas foi flagrada pela equipe do Diário entre domingo e ontem.

A ação confirma o anúncio feito na semana passada pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB). sobre a renovação da Linha 10-Turquesa. Segundo o tucano, a troca dos trens – somada à revitalização do sistema de sinalização – vai “elevar o padrão da linha para a operação do Metrô.”

Entre os passageiros, a opinião sobre as mudanças está dividida. O auxiliar administrativo Jonathan Souza, 27 anos, morador de Santo André, aprovou os novos trens. “É bem mais cômodo e confortável. Acredito que tenham aumentado a quantidade de composições, porque achei mais rápido o intervalo entre uma e outra”, afirmou. A faxineira Talita Araújo, 35, não notou qualquer melhora. “Está a mesma coisa de sempre.” Já a moradora de Santo André, a técnica industrial Berenice Maria Gonçalves, 57, reclamou. “(Os trens) Estão cheios, como sempre.”

Os trens da CPTM são separados em séries de acordo com seu ano de fabricação. Atualmente, a Linha 10 conta com composições modelos 2.100 e 7.500 – que foram remanejados da Linha 9-Esmeralda. Conhecidos como ‘trens espanhois’, os itens da série 2.100 foram utilizados na Espanha como composições regionais de média distância e entraram em circulação no Brasil em 1998. Já as composições 7.500 foram fabricadas em 2010. Os trens modelo 7.000 operam desde 2010.

Externamente e na parte mecânica, as séries 7.000 e 7.500 são idênticas, tendo como única diferença a disposição dos assentos no interior dos carros na série mais nova – são menos assentos e mais espaço para passageiros em pé. Os modelos contam com oito portas em cada carro, quatro de cada lado. A frota 2.100 tem quatro portas em cada vagão.

Com média diária de 370 mil passageiros, sendo 181,4 mil usuários somente na região, a Linha 10-Turquesa tem uma das frotas mais antigas do Estado. A companhia estadual adquiriu, em 2013, total de 65 composições, ao custo de R$ 1,8 bilhão. Deste lote, 42 trens foram entregues, mas, nenhum atua na região.

Apesar de o Diário ter feito registros dos novos trens, a CPTM não confirmou a antecipação do processo de modernização da linha.

MODERNIZAÇÃO

Além da troca dos trens da Linha 10-Turquesa por composições modernas e com mais portas de acesso, a CPTM também anunciou a modernização no sistema de sinalização da linha que atende o Grande ABC. A ação, conforme o Estado, será feita com a retomada do contrato de instalação do sistema CBTC – sigla em inglês que quer dizer controle de trens baseado em comunicação – neste semestre.

Fonte:  DGABC

Get Social

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey YouTube Icon

© 2019 - Metalúrgicos de São Caetano do Sul