GREVE NA GM/SÃO CAETANO DO SUL SINDICATO ENCAMINHA DECISÃO DO TRT E MAIORIA VOLTA AO TRABALHO


FOTO: JONATAS TOLEDO


Em assembleias realizadas na manhã e tarde de ontem, 14/10, a maioria dos trabalhadores da General Motors de São Caetano do Sul, em greve desde 1º de outubro, concordou com o retorno imediato ao trabalho. Mesmo parcela dos que discordaram da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-2) que julgou a greve não abusiva, mas com retorno imediato à produção, acabou por aderir à decisão do TRT.


Aparecido Inácio da Silva, o Cidão, presidente do sindicato, que fez encaminhamento pela suspensão da greve e retorno ao trabalho, reconheceu que não houve unanimidade dos trabalhadores em relação a retornar de imediato à produção, posição que ele diz respeitar, mas que havendo uma decisão judicial o momento se tornou delicado e então foi preciso atender à decisão do tribunal. “Obviamente que o sindicato respeita a posição da assembleia, porém decisão judicial deve ser acatada. O que não quer dizer que a luta foi interrompida. Continuaremos negociando pontos importantes da pauta de reivindicações, com destaque para o Vale-alimentação, que continuam em aberto”, afirmou Cidão.


O TRT julgou improcedente a reivindicação pelos trabalhadores do vale-alimentação, mas concedeu a manutenção da Cláusula 42 que assegura a estabilidade no emprego aos trabalhadores portadores de doenças ocupacionais, além do pagamento dos dias parados. Entretanto, de acordo com o Tribunal, as horas não trabalhadas continuam em aberto.


Com a greve as partes pactuaram o reajuste de 10,42% aplicados aos salários a partir de 1/9/2021. Como tem efeito retroativo, as diferenças geradas pelo reajuste serão pagas até o dia 18/10. O mesmo índice será aplicado aos valores de vale-transporte e refeição e para o piso salarial.


Ficou também assegurada a antecipação do pagamento de metade do 13º salário de 2.022 para fevereiro do próximo ano. Foi também consenso o retorno de um modelo de progressão salarial semestral. Além disso, estão mantidas as cláusulas do acordo coletivo anterior.


São Caetano do Sul, 15 de outubro de 2021.


Assessoria de Imprensa do sindicato.




356 visualizações0 comentário