Inflação em São Paulo tem alta de convênio médico e combustíveis

    Preços de combustíveis pesaram mais no bolso do consumidor paulistano no mês passado

    São Paulo – O Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo Dieese no município de São Paulo, variou 0,15% em novembro, com altas de itens como convênios médicos e combustíveis. O ICV está acumulado em 2,16% no ano e em 2,29% no período de 12 meses.

    A inflação sobe mais para famílias de maior renda, concentradas no estrato 3. Em 2017, por exemplo, o índice é de 2,57% para esse grupo, caindo para 1,70% no estrato 2 (intermediário) e de 1,57% no 1.

    A principal alta foi do grupo Saúde (1,34%), com 1,65% no item assistência médica, chegando a 2,01% em convênios. O item medicamentos e produtos farmacêuticos variou -0,02%.

    Transporte teve variação de 1,04%. Segundo o Dieese, o resultado foi puxado pelos combustíveis: álcool (4,35%), gasolina (1,58%) e diesel (1,35%).

    No grupo de maior peso na composição do ICV, Alimentação (-0,29%), os produtos in natura e semielaborados tiveram queda de 0,26% e os da indústria, de 0,54%. Entre as principais altas de raízes e tubérculos, estão batata (9,66%) e cebola (5,40%), enquanto o preço da beterraba caiu 6,29%. Nas frutas, subiu o preço de abacate (11,82%), maracujá (10,62%), laranja (4,44%) e maçã (4,40%) e caiu o de mamão (-4,03%), melão (-4,46%) e limão (-9,41%). As carnes bovina e suína também tiveram quedas, de 0,75% e 0,14%, respectivamente, assim como arroz (-0,71%) e feijão carioquinha (-1,29%).

    Fonte: RBA  12-12-2017

    Get Social

    • Grey Facebook Icon
    • Grey Twitter Icon
    • Grey LinkedIn Icon
    • Grey YouTube Icon

    © 2019 - Metalúrgicos de São Caetano do Sul