No PASI, o valor do seguro social para trabalhadores e sindicatos

Convidado pelo presidente Vandeir Messias para o encontro que debateu alternativas para o sindicalismo em meio à crise, Alaor Silva Junior, explicou como Plano de Amparo Social Imediato (PASI), um seguro social por excelência, pode ajudar os trabalhadores e as entidades sindicais no momento das negociações coletivas. Realizado na sede da Força Minas, em 23 de março, o evento reuniu sindicalistas de diferentes ramos de atividade.

Presidente do PASI, Alaor Júnior explicou que o projeto nasceu em Minas Gerais, a partir da implantação de forma experimental nas convenções coletivas de Trabalho no setor da Construção Civil. Desde 1989, o modelo veio ocupar uma lacuna que não era ocupada pelas seguradoras, que não pensavam em proteger o trabalhador de baixa e média rendas.

Antes do PASI, a questão da dignidade da vida humana e da justiça social não vinha sendo contemplada. Enquanto seguro de vida e acidentes pessoais, que inclui cobertura acessória e complementar, o PASI considera a necessidade da cobertura securitária para famílias de baixa renda.

Por meio do site www.pasi.com.br é possível aderir ao seguro. No caso específico da Força Sindical, já foi formalizado um convênio em âmbito estadual, que anuncia a possibilidade de adesão ao modelo.

Transcorridos 29 anos, a realidade criada a partir da vigência da reforma trabalhista, em novembro de 2017, a modalidade oportuniza aos sindicatos laborais e patronais a possibilidade de ser beneficiários do PASI, do ponto vista financeiro, através da inclusão do seguro nas convenções e acordos coletivos de Trabalho.

REFORÇO NA SUSTENTABILIDADE

A justiça social agregada no PASI poderá atuar no auxilio ao custeio da sobrevivência de sindicatos, ainda abalados com os efeitos da reforma, que retirou o caráter obrigatório do imposto sindical, até então a principal fonte de custeio do sindicalismo.

Parte dos benefícios financeiros será carreada para as entidades sindicais, que terão no seguro um elemento vital para a própria sustentabilidade. “Todos vão ganhar, desde os corretores de seguro, a partir da abertura de novas fontes de mercado e o alargamento da inclusão social que vem sendo promovido”, observa o presidente da instituição.

No elenco de coberturas, o seguro contempla morte do titular, Invalidez Permanente por Acidente (IPA), Pagamento Antecipado Especial por Consequência de Doença Profissional do titular (PAED), morte do cônjuge do titular, nascimento com doença congênita de filhos do titular e Pagamento por Diagnóstico de Câncer de Mama ou Próstata do titular (DCMP).

AMPLA COBERTURA

Como benefícios complementares, o PASI oportuniza a oferta de auxílio alimentação; cesta natalidade, que inclui um Kit Bebê e Bônus por Natalidade; Assistência Funeral Familiar, no valor de R$ 3 mil; Reembolso à Empresa por Rescisão Trabalhista, Reembolso à Empresa por Acidente Laborativo (REAL); e complementação ao empregado em caso de afastamento por acidente de trabalho.

Entre as características que fazem do PASI um produto diferenciado, destaque para o bem estar social gerado para o trabalhador, que é estendido para as famílias em todos os momentos, dentro e fora do ambiente de trabalho. Para os sindicatos, o reforço na representatividade, na medida em que permite a disseminação dos benefícios com garantias completas e indenizações securitárias, asseguradas em Convenção Coletiva (CCT) ou acordo Coletivo de Trabalho (ACT), Assistência Social, Psicológica e Nutricional (ASPN) e Auxílio Alimentação.

Também para as empresas, o PASI atua na promoção do avanço da responsabilidade social, por estimular a satisfação do trabalhador e confirmar a preocupação empresarial com o bem estar social, visto que a seguradora assume a responsabilidade de indenizar os trabalhadores e as famílias dentro dos eventos cobertos pelo plano contratado.

PROTAGONISMO SOCIAL – No mesmo dia, Força Minas e Clube de Benefícios Veiculares selaram parceria que inclui serviços de qualificação educacional. Com a assistência de Henrique Lancine Fraga, o presidente Vandeir Messias recepcionou Marcus Coelho, Larissa Patrus e Tiago Chagas. O encontro teve lugar na sede da Força Minas, no Centro da capital mineira. FONTE: Assessoria de imprensa da Força Sindical-MG

Get Social

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey YouTube Icon

© 2019 - Metalúrgicos de São Caetano do Sul