Produção desacelera em abril, mas indústrias recompõem estoques, diz CNI

Mesmo com a desaceleração da produção industrial em abril, as fábricas conseguiram recompor os estoques para níveis próximos dos planejados, de acordo com sondagem da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores acima de 50 pontos indicam crescimento, e valores abaixo desse nível significam retração, a produção industrial ficou em 46,0 pontos em abril, após ter registrado 50,5 pontos em março.

"Abril costuma ser um mês de atividade industrial mais fraca na comparação com o mês anterior, de forma que nos meses de abril o índice costuma ficar abaixo de 50 pontos", destacou a CNI.

Ainda assim, o desempenho foi melhor que o de abril do ano passado, quando o impacto mais forte da pandemia de covid-19 levou o indicador para o fundo do poço, em apenas 26,0 pontos.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) da indústria ficou estável em 68% em abril, o melhor patamar para o mês desde 2014, quando esteve em 71%. "Desde agosto de 2020 a UCI se mantém em um patamar elevado na comparação com os últimos cinco anos", acrescentou o documento.

Após um longo período de ajustes, os estoques da indústria se aproximam do patamar planejado pelos empresários para o atual período. O indicador passou de 48,3 pontos em março para 49,6 pontos em abril - bem próximo do nível de equilíbrio de 50 pontos. Em setembro do ano passado, o índice de estoques em relação ao planejado chegou a ficar em 44,7 pontos.

O gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, explica que esse desajuste de estoques afetou o fornecimento de insumos e matérias-primas, elevou preços e prejudicou a indústria. "O índice estava se recuperando, mas, em abril, ao alcançar 49,6 pontos, percebemos que esse ajuste, entre a quantidade de estoque efetivo em relação ao planejado, praticamente terminou", avalia o economista.

O indicador que mede o nível de emprego na indústria ficou exatamente sobre a linha divisória de 50 pontos em abril. Esse foi o segundo mês consecutivo de estabilidade no emprego industrial - que desde junho do ano passado não fica abaixo desse patamar de equilíbrio.

A sondagem da CNI mostra ainda que os empresários do setor mantêm o otimismo para os próximos meses. O índice de expectativa de demanda avançou de 56,1 pontos em abril para 58,7 pontos em maio. A perspectiva de compra de matérias primas subiu de 54,9 pontos para 56,4 pontos. Da mesma forma, a expectativa de contratar mais empregados passou de 51,3 pontos para 52,5 pontos na mesma comparação.

Já as perspectivas de aumento da quantidade exportada e de realização de novos investimentos apenas oscilaram positivamente em 0,1 ponto em maio, para 54,8 pontos e 55,8 pontos, respectivamente.

"O índice de intenção de investimento mantém-se praticamente estável há três meses. Apesar de estar em um patamar mais baixo que o pico de 59,9 pontos alcançado em janeiro de 2021, o índice permanece acima da média histórica, de 50,2 pontos", completou a CNI.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo