Sindicatos podem voltar a descontar imposto em folha

    Isso porque medida provisória que determinava pagamento em boleto bancário perdeu validade.

    A MP (Medida Provisória) que impedia o pagamento de contribuições sindicais a partir do desconto em folha de pagamento não foi votada pelo Congresso Nacional e perdeu a validade na sexta-feira. Com isso, os sindicatos voltam a poder receber por esse meio o chamado imposto sindical, taxa de contribuição voltada a manter a atividade das entidades equivalente a um dia de trabalho.

    Embora esse imposto tenha deixado de ser obrigatório com a aprovação da reforma trabalhista, em novembro de 2017, desde que o trabalhador autorize o desconto de seu contracheque, o pagamento da taxa era feito com desconto direto de seus salários. Porém, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou o texto em março e determinou que o montante deveria ser pago por meio de boleto bancário.

    Bolsonaro comentou nas redes sociais que a MP não recebeu, por parte dos partidos, a relação de integrantes para votá-la, e que agora os sindicatos voltariam a receber recursos em suas contas. “Isso dá R$ 3 bilhões por ano nas mãos dos sindicatos. Em que pese os bons sindicatos, outros nós sabemos o que vão fazer com esse dinheiro, para fazer piquete, fazer greve, queimar pneu, parte vai para o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) invadir propriedade. É lamentável essa decisão por parte de alguns líderes, deixar caducar por falta de indicação dos integrantes”, acrescentou.

    Fonte; DGAC

    Get Social

    • Grey Facebook Icon
    • Grey Twitter Icon
    • Grey LinkedIn Icon
    • Grey YouTube Icon

    © 2019 - Metalúrgicos de São Caetano do Sul